terça-feira, 4 de outubro de 2016

AMOR MADURO.

Amor maduro

O amor maduro não é menor em intensidade. Ele é apenas silencioso. Não é menor em extensão. É mais definido, colorido e poetizado. Não carece de demonstrações: presenteia com a verdade do sentimento. Não precisa de presenças exigidas: amplia-se com as ausências significantes.

O amor maduro tem e quer problemas, sim, como tudo. Mas vive dos problemas da felicidade. Problemas da felicidade são formas trabalhosas de construir o bem e o prazer. Problemas da infelicidade não interessam ao amor maduro.

Na felicidade está o encontro de peles, o ficar com o gosto da boca e do cheiro, está a compreensão antecipada, a adivinhação, o presente de valor interior, a emoção vivida em conjunto, os discursos silenciosos da percepção, o prazer de conviver, o equilibrio de carne e de espírito.

O amor maduro é a valorização do melhor do outro e a relação com a parte salva de cada pessoa. Ele vive do que não morreu mesmo tendo ficado para depois. Vive do que fermentou criando dimensões novas para sentimentos antigos, jardins abandonados, cheios de sementes.

Ele não pede... tem. Não reivindica... consegue. Não percebe... recebe. Não exige... dá. Não pergunta... adivinha. Existe para fazer feliz.

O amor maduro cresce na verdade e se esconde a cada auto-ilusão. Basta-se com o todo do pouco. Não precisa e nem quer nada do muito. Está relacionado com a vida e sua incompletude, por isso é pleno em cada ninharia por ele transformada em paraíso.

É feito de compreensão, música e mistério. É a forma sublime de ser adulto e a forma adulta de ser sublime e criança. É o sol de outono: nítido mas doce..., luminoso, sem ofuscar..., suave mas definido..., discreto mas certo.

Um Sol que aquece até queimar.

(Artur da Távola)

Ajuntei todas as pedras


Ajuntei todas as pedras que vieram sobre mim. Levantei uma escada muito alta e no alto subi. Teci um tapete floreado e no sonho me perdi. Uma estrada, um leito, uma casa, um companheiro. Tudo de pedra. Entre pedras cresceu a minha poesia. Minha vida… Quebrando pedras e plantando flores. Entre pedras que me esmagavam Levantei a pedra rude dos meus versos.

Autor: Cora Coralina

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

UMA MENSAGEM PARA VOCÊ!

Sem querer vc apareceu,
não te esperava,
não esperava reencontrar o que há muito havia
perdido ou que talvez nunca tive ...

Você me trouxe de volta o brilho no olhar...
O sorriso nos lábios...
Mas também o medo de me machucar.

Não te culpo por trazer de volta
um sentimento que eu havia prometido apagar de mim,
mas te culpo por fazer desse sentimento
o melhor que eu já senti...

De um jeito muito especial
Você me fez acreditar que o amor pode ser verdade...
Talvez nunca tenha amado,
por isso não sei bem o que essa palavra significa
pra mim,
mas o importante agora é que sinto por vc algo
diferente, que talvez nunca senti...

Não te prometo a perfeição,
pois isso eu não tenho...
Mas te prometo uma coisa:
Dar o melhor de mim...

Você é alguém mais do que especial pra mim,
é alguém diferente, assim como eu sou...
Já te disse muitas vezes, que sou diferente (lembra),
Por isso, vc está sendo um desafio pra mim,

Você foi uma das melhores coisas que aconteceram na
minha vida!!!

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

A Flor da Amizade

Abri o coração suavemente,
e dele retirei um pedacinho
no jardim o plantei com tal carinho
que nasceu uma flor desta semente.

Entre todas cresceu mais lentamente,
segura que seguia o seu caminho
parecia dizer....devagarinho
fico mais perfumada certamente.

Batizei-a de flor da amizade,
os botões perfumaram a saudade,
dos amigos guardados com amor.

E das muitas que tenho no canteiro,
gostaria de dar ao mundo inteito
o cheiro inebriante desta flor.


( Fernando dos Santos)